Para O Novo Ano

"Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é
a vitória que vence o mundo, a nossa fé" (1 João 5:4).

Se você crê, em seu coração, que está certo, deve lutar para tornar realidade o seu desejo. Somente o peixe morto nada o tempo todo a favor da correnteza. (Linda Ellerbee)

O ano novo está se aproximando. O que esperamos dele? Como será a nossa vida através de cada um de seus dias? Que sonhos almejamos conquistar?

A minha sugestão é que você exercite, em cada um dia do novo ano, a sua fé. Seja ela pequena ou grande, pratique-a! Seja o caminho fácil ou difícil, insista! Seja a estrada plana ou pedregosa, esforce-se! Mesmo que muitos tentem fazer você desistir, não desanime, creia! Jesus nos disse que venceu o mundo e o fez para que nós seguíssemos Seu exemplo e vencêssemos também.

Como diz a autora de nossa ilustração, enquanto estamos vivos devemos seguir em frente. Se nos sentirmos fracos, peçamos ajuda ao Senhor e Ele certamente nos fortalecerá. Se cairmos, vamos levantar e recomeçar. Se fracassarmos, vamos compreender que foi apenas um passo e não o definitivo.

O novo ano trará consigo as bênçãos do Senhor. Sua vida será abençoada; sua família será abençoada; sua casa será abençoada. O Abençoador está com você e isso faz toda a diferença. Caminhando a Seu lado, a possibilidade de não conquistar seus sonhos é nula.

Revestido de fé, mesmo que tenha de nadar contra a correnteza, você sempre alcançará a vitória!

O Mito do Papai Noel x Realidade de Jesus Cristo

Quando comparamos atentamente o mito do Papai Noel com a história bíblica real de Jesus Cristo, vemos a realidade chocante: que Satanás suplantou Jesus Cristo na vida de muitas pessoas.

Antes que você reaja sem pensar, separe alguns minutos para ler esta comparação entre os ensinos bíblicos de Jesus Cristo e os ensinos místicos do Papai Noel. Muitos pastores lamentam o fato de que o Papai Noel substituiu Jesus Cristo no coração e na mente de muitas crianças e adultos no nosso país atualmente. Quando você ler esta comparação, compreenderá que essa substituição no coração e na mente das pessoas não é acidental. Verá que Satanás, o mestre das marionetes, está puxando as cordinhas do mundo, levando os adultos e as crianças para longe de Jesus Cristo e em direção ao Papai Noel, que é o epítome do amor ao mundo e a tudo o que nele há.

Comparação Entre Jesus Cristo e o Papai Noel


Jesus Cristo: Nosso Senhor e Salvador de Acordo com a Bíblia Papai Noel: A Falsificação de Acordo com o Mito Humano

1. Tem os cabelos brancos como a lã [Apocalipse 1:14] 1. Tem os cabelos brancos como a lã

2. Tem barba [Isaías 50:6] 2. Tem barba

3. Veste um manto vermelho [Apocalipse 19:13] 3. Veste-se de vermelho

4. A hora da sua vinda é surpresa [Lucas 12:40; Marcos 13:33] 4. A hora da sua vinda é surpresa

5. Vem do norte, onde vive [Ezequiel 1:4; Salmos 48:2] 5. Vem do Polo Norte, onde vive

6. Trabalhou como carpinteiro [Marcos 6:3] 6. Fabrica brinquedos de madeira

7. Vem como o ladrão de noite [Mateus 24:43-44] 7. Vem como o ladrão de noite; entra na casa como um ladrão

8. Onipotente — o Todo-poderoso [Apocalipse 19:6] 8. Onipotente — pode entregar todos os brinquedos no mundo inteiro em uma só noite

9. Onisciente — conhece todas as coisas [Hebreus 4:13; 1 João 3:20] 9. Onisciente — sabe se a criança foi boa ou má o ano todo

10. Onipresente [Salmos 139:7-10; Efésios 4:6; João 3:13 10. Onipresente — vê quando a criança está acordada ou dormindo. Precisa estar em toda a parte ao mesmo tempo para entregar todos os presentes em todo o mundo na mesma noite.

11. Vive para todo o sempre [Apocalipse 1:8; 21:6] 11. Vive para sempre

12. Vive naqueles que o receberam [1 Coríntios 3:16; 2 Coríntios 6:16-17] 12. Vive no coração das crianças

13. Distribui dons [Efésios 4:8] 13. Distribui presentes

14. É a verdade absoluta [João 14:6] 14. Fábula absoluta [1 Timóteo 1:4; 4:7; 2 Timóteo 4:4]

15. Senta-se em um trono [Apocalipse 5:1; Hebreus 1:8] 15. Senta-se em um trono

16. Somos exortados a nos achegar ao seu trono de graça e a expor nossas necessidades a ele [Hebreus 4:16] 16. As crianças são convidadas a se aproximarem do seu trono e a pedir tudo o que quiserem

17. Um de seus mandamentos é que os filhos honrem aos pais 17. Diz às crianças para obedecerem aos pais

18. Convida as crianças a irem a ele [Marcos 10:14] 18. Convida as crianças a irem a ele.

19. Julga [Romanos 14:10; Mateus 25:31-46] 19. Julga se a criança foi boa ou má

20. Pai da Eternidade [Isaías 9:6] 20. Papai Noel (Pai do Natal)

21. Menino Jesus [Mateus 1:23; Lucas 2:11-12] 21. Kris Kringle [significa Menino Cristo]

22. Digno de receber orações e adoração [Apocalipse 5:12-14; Hebreus 1:6] 22. As crianças adoram e rezam a São Nicolau

23. Senhor dos Exércitos [Malaquias 3:5; Isaías 8:13; Salmos 24:10] 23. Senhor de um exército de elfos [na tradição druídica, os elfos eram demônios ou espíritos das árvores]

24. Deus diz, “Eh! Eh!… [Zacarias 2:6] 24. O Papai Noel diz “Ho, ho, ho…”

25. Príncipe da Paz, a Imagem de Deus [Isaías 9:6; Hebreus 1:3]; 25. Símbolo da Paz Mundial, a imagem do período do Natal.


Nota: Esta comparação foi tirada de The Good Newsletter, de Former Catholics for Christ, out/nov/dez 1997. Pode-se ver claramente que alguém criou uma falsificação secular de Jesus Cristo, colocando muitos de seus atributos no Papai Noel! Existem tantos pontos em comum, que é impossível que essa criação tenha sido acidental. Em Jó 1:6-7, vemos que Satanás passeia pela Terra como se ela fosse o terreno de um jardim, totalmente sob seu controle. Satanás pode ser imaginado como o mestre das marionetes, que puxa as cordinhas na Terra. Certamente, nestes dias finais, ele quer ter alguém que desvie a atenção, a admiração e o amor das crianças de Jesus Cristo. Mas, não somente isso, também quer contaminar as crianças desde cedo com a mais devastadora das doenças espirituais, o amor aos bens materiais e o amor a si mesmo, que acompanham o desejo de receber o maior número possível de presentes! A criação e a promoção do Papai Noel certamente cumprem todos esses objetivos.


Lembre-se que uma das profecias de Jesus Cristo sobre o fim dos tempos é que o coração das pessoas estará extremamente frio com relação a ele.

“E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.” [Mateus 24:12].

Certamente, as crianças aprendem a ir à fonte errada para receber presentes, são encorajadas a se comportar bem durante o ano pelas razões erradas, e aprendem a amar os bens materiais, em vez de amar a Deus sobre todas as coisas. Isso nos faz lembrar de outra profecia bíblica:

“Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus.” [2 Timóteo 3:1-4].

Essa profecia não descreve exatamente como está nossa sociedade nos dias atuais? As crianças estão aprendendo desde cedo a amar os bens materiais, a tentar obter o maior número possível de brinquedos, e a amar a si mesmas, tudo como conseqüência de acreditar nesse mito pagão do Papai Noel.

Pedimos que você receba essas informações com amor, como elas foram dadas. Você certamente não deve ensinar aos seus filhos o mito do Papai Noel. Ensine que Jesus Cristo é a razão do Natal. Não há nada de errado em dar e receber presentes, mas faça as crianças compreenderem que é muito melhor dar do que receber. Além disso, mostre-lhes que Jesus Cristo nos deu o maior presente de todos, a vida eterna!

Quando você compreender o modo deliberado como o mito do Papai Noel foi criado, como uma falsa imitação de Jesus Cristo, poderá ver que as crianças podem ser facilmente desviadas espiritualmente crendo e participando nessa história. Mantenha o foco em Cristo para seus filhos.

Essas informações são apenas mais um exemplo que mostra como estamos vivendo nos últimos dias de grande engano e frieza nos corações. Juntamente com os muitos outros sinais do fim dos tempos, esse amor ao Papai Noel pagão é apenas mais um claro sinal do fim.

Encontro Regional Tribal 2012.

Colocamo-nos a disposição para qualquer eventual dúvida
Fabiano Santiago
skype fabianologos
MSN fabianosaldaterra@uol.com.br
Tel. TIM 34 9119-1463 / 34 8824-4006
Tel. OI 34 8858-4006





Encontro Regional Tribal 2012.

Colocamo-nos a disposição para qualquer eventual dúvida.
Fabiano Santiago
skype fabianologos
MSN fabianosaldaterra@uol.com.br
Tel. TIM 34 9119-1463 / 34 8824-4006
Tel. OI 34 8858-4006

Emanuel, Deus Conosco - Verdadeiro Natal

"Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E
chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus
conosco" (Mateus 1:23).

Dois missionários foram presos e encarcerados na mesma cela.
Estavam proibidos de falar um com o outro. Chegou o Natal.
Um dos missionários, amedrontado e calado, sentou-se no chão
coberto com feno. Mexendo com os pedaços de feno ao redor,
ele descobriu que poderia, mesmo sem falar, comunicar-se com
o companheiro de prisão. Ele escreveu a palavra "Emanuel".
Assim que seu amigo leu o que estava escrito no chão, viu-se
tomado de grande alegria. Eles estavam aprisionados, mas
criam que o Deus Emanuel estava com eles e, por fim, lhes
daria a vitória.

O que tem sido o Natal para nós? Um dia de festa? Um dia de
comidas especiais? Uma ocasião para beber até não aguentar
mais? Ou uma oportunidade de dizer ao mundo que Jesus nasceu
e está conosco, para nos dar vida e vida abundante?

O que é mais importante: dar um presente de amigo oculto ou
dizer ao presenteado que o verdadeiro Amigo, motivo do
Natal, jamais estará escondido? O que é mais importante: a
troca de abraços e brindes em volta de uma mesa ou uma
palavra de ânimo e conforto, tal como "O aniversariante aqui
comemorado ama a você e quer perdoar seus pecados e dar-lhe
vida eterna? O que é mais importante: comprar roupas novas
para uma celebração ou pedir ao Senhor, que nasceu, para nos
dar roupas novas, alvas e puras, que nos tornem brilhantes
para a glória do Seu nome?

O dia do nascimento de Cristo é, realmente, 25 de dezembro?
Provavelmente não. Mas, não estamos celebrando o dia e nem
os costumes mundanos. Estamos celebrando o fato do nosso
Senhor e Salvador Jesus Cristo ter nascido. Ele nasceu! Isso
é o que realmente importa! Nasceu em nossos corações e, por
isso, estamos muito felizes.

Vamos encontrar, neste Natal, todas as maneiras possíveis de
comunicar que o verdadeiro Natal está em ter o Senhor Jesus,
o Deus Emanuel, o Deus conosco, a nosso lado... todos os
dias... para sempre.

A Velha Vai, A Nova Vem!

"Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as
coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo" (2
Coríntios 5:17).

Quando uma lagarta é transformada em uma borboleta, se torna
uma criatura totalmente nova. Uma metamorfose acontece.
Assim, se alguém está em Cristo, é uma nova criatura. A
velha se foi, a nova veio!

Daqui há alguns dias o novo ano estará chegando. O velho se
despede e o novo se apresenta. Mas, mais importante do que o
ano que é mudado, é a nossa velha vida que precisa ir embora
e dar lugar a uma nova vida em Cristo, transformada,
renovada, edificada, abençoada.

Quando dizemos que estamos no Senhor e nada mostramos que
testifique nossas palavras, estamos enganando aos nossos
amigos e principalmente a nós mesmos. Jamais enganamos a
Deus, que tudo sabe, tudo vê, tudo conhece. Ele é o Senhor e
precisamos ser verdadeiros em nosso relacionamento com Ele.

Um objeto que está estragado em nossas casas, pode ser
consertado. Voltará a funcionar, mas, nunca será um objeto
novo. Será sempre um velho objeto, mesmo que volte a
funcionar.

A vida cristã tem que ser nova. Não pode trazer as ranhuras
do passado, as beiradas quebradas do passado, os cantos
sujos ou sem brilho do passado, a cor desbotada do passado,
a aparência débil do passado.

Nossas vidas precisam ser completamente novas. Devem ter
brilho e pureza, devem ter uma aparência que agrade ao nosso
Senhor. Devem agir de maneira diferente da forma antiga.

Aproveitemos esse final de ano para mandar embora nossa
velha natureza e convidar uma nova, bonita, santa,
agradável, para fazer parte de nossos dias com Deus.

Deixe Jesus entrar em seu coração e a transformação será
imediata!

Natal dos dias de hoje.

Faltam poucos dias para o Natal, e a correria começa a tomar conta das ruas, cada dia mais movimentadas, shoppings centers cheios, pessoas ansiosas, preocupadas e muitas endividadas. As crianças começam a pedir os presentes, os pais começam a calcular os gastos, as mães tentam contem a compulsão da compra, enfim eis o espírito do natal consumista!

O Comércio corre para enfeitar as lojas e contratar “velhinhos” com cara de Papai Noel, as decorações de natal começam a iluminar as ruas, as pessoas compram enfeites, as igrejas montam presépios, mas mesmo assim predominam enfeites com Bonecos de Neve, Renas, Estrelas, Anjos, Presentes e claro o Bom Velhinho Papai Noel ! Tudo importado da cultura Americana!

Em Uberaba o Shopping Uberaba, vai mais além e inova, inova até demais. Em 2010 o tema principal da decoração para quem não se lembra, foi Pet, com vários cachorros espalhados pelo principal ponto de decoração (Foto Abaixo). Não que eu tenha algo contra os cachorros, muito pelo contrário, mais o ponto que quero deixar é, o que isso tem haver com o VERDADEIRO NATAL???
Decoração Natal 2010 – Shopping Uberaba

Esse ano para minha surpresa, vem uma decoração mais nada haver ainda, o Sítio do Pica Pau Amarelo. O Sítio do Pica Pau Amarelo é uma das obras mais originais da literatura brasileira. Mais volto novamente a mesma pergunta, o que tem haver o Sítio com o NATAL?

Alías o fato de vincular o Sítio do Pica Pau Amarelo ao Natal, me preocupa, pois une-se uma fábula, uma estória, com algo real, e na mente dos pequenos e adultos começa a soar como se a história do natal também fizesse parte do mesmo contexto de fábula.

Andando pelo Shopping e olhando essa decoração de 2011, você consegue identificar em qual parte o aniversariante do dia? Quantas referências a Jesus você vê?

Estava me esquecendo, o Shopping Uberaba, esta pouco se importando em transmitir a verdade do natal, e sim em gerar consumo, business, o que é natural, esse é o negócio do Shopping. Só acho que isso poderia ser usado, como esta sendo, pela promoção dos carros, pela decoração bonita, com luzes e enfeites verdadeiramente alusivos aos natal, promoções e descontos.

Não sei se serei bem compreendido, mais meu objetivo é que não se perca o verdadeiro sentido do natal. Devemos sim nos alegrarmos, comemorarmos, mais tudo como gratidão ao Aniversariante. No Natal lembramos de dar presentes para muitas pessoas, filhos, esposas, esposos, pais, parentes, e o Aniversariante, o que você tem para oferecer a Ele?

Não quero ser hipócrita e afirmar todo mundo não se lembra, sim alguns se lembram, uns a meia noite, fazem a oração do pai nosso, isso 2 minutos de oração, e vamos continuar bebendo e comendo.

Outros se lembrarm, agradecem a Ele, e lhe oferecem o único presente que Ele pediu, seus corações:

“Eis que estou a porta e bato, se alguém abrir eu entrarei, cearei com ele e ele comigo” Ap. 3.19

Recordemos de como Jesus nasceu, Ele nasceu pobre, sem pompa, sem festa, sem banquete. Que recebeu presentes de Reis Magos, Incenso Ouro e Mirra, e que como único “enfeite” o brilho solitário de uma estrela na noite fria de Belém.

Mais do que isso, devíamos praticar seu ensinamento maior amar e compartilhar o pouco que temos, com aqueles que nada tem. Dividir o Pão, em tempos modernos, dividir o Pernil, o Panetone, o Peru , os doces e salgados com aqueles que passam fome!

Ao que tudo indica, este será apenas mais um texto na internet que apenas constata uma dura realidade: A de que o ser humano está cada vez mais egoísta, egocêntrico e materialista, dando muito mais valor ao Ter (possuir) do que ao Ser (existir).

As luzes e os enfeites de natal nas cidades modernas em todo o mundo ofuscam os olhos e já não nos deixam ver o dono da festa, o aniversariante do dia, que em muitas casas já perdeu o lugar de honra para o velhinho gordo de roupas vermelhas…

Renato Jr.

Relógios Que Não Param

Se algumas pessoas tivessem o costume de olhar para seus
relógios antes de começarem a orar, certamente pensariam, ao
terminar a oração, que os mesmos haviam parado." (Billy
Sunday)

Por que será que somos tão preguiçosos quando vamos falar
com Deus? Por que dedicamos tão pouco tempo para o Senhor?
Por que outras coisas, muito mais insignificantes, merecem
um momento maior em nossas prioridades?

Quanto mais tempo passamos diante de Deus, menos tempo nos
sobra para errarmos. Quanto mais tempo dedicamos à oração,
mais resultados positivos conquistamos em nossos dias.
Quanto mais tempo gastamos diante do trono da graça de Deus,
mais bênçãos acumulamos em nossas vidas espirituais. Quanto
mais seguimos a direção do Senhor, mais experiências de
alegria e felicidade desfrutamos enquanto estamos neste
mundo.

Se não conseguimos ânimo para ficar uma hora em oração
diante do Senhor, como passaremos a eternidade diante dEle?
Estaremos para sempre ao lado do nosso Salvador. Ali
estaremos louvando, adorando, desfrutando de Sua presença
gloriosa. Por que não começarmos a praticar aqui mesmo na
terra?

Que nossos relógios avancem seus ponteiros ou mostradores,
cada dia mais, enquanto falamos com Deus. Que eles caminhem
tanto que saiam do nosso alcance. Que possamos esquecê-los
durante o nosso período de oração. Que, em vez de acharmos
que estão parados, nos espantemos por terem avançado muito,
sem que o percebêssemos.

Falar com Deus é muito bom. Ouvir a voz de Deus é ainda
melhor. Deixar que nossas vidas sejam dirigidas pela vontade
do Senhor é a maior bênção que podemos receber.

Seu relógio fica parado quando você ora ou você nem se
lembra dele naquele momento?

A Igreja Universal do Reino de Deus é uma seita?


Embora não possa ser considerada como seita, no sentido pejorativo da palavra, a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) aparece na lista das chamadas "igrejas menos puras". Usada pela primeira vez pela Comissão de Doutrina da Igreja Presbiteriana do Brasil, a nomenclatura se deve a existência de elementos estranhos na liturgia da IURD, como semelhanças com o Catolicismo e o Baixo Espiritismo. A IURD é, para a maioria dos pesquisadores da religião, um movimento contraditório cuja prática doutrinária é um prejuízo ao Evangelho.

Fundada em 9 de julho de 1977, por Edir Macedo, a IURD professa doutrinas e crenças provenientes dos mais variados segmentos religiosos. É o que conhecemos por sincretismo religioso, ou seja, uma mistura de ideias e pensamentos. Além de algumas semelhanças com o pentecostalismo, a IURD possui as seguintes características doutrinárias.

a) Teologia da Prosperidade. Um dos aspectos fundamentais da teologia da IURD é a dita "Teologia da Prosperidade". Assim como o movimento Neopentecostal, a Teologia da Prosperidade é de origem norteamericana. O movimento surgiu de forma gradual por meio de Essek Willian Kenyon (1867-1948). Kenyon, aproveitando-se dos conceitos de Mary B. Eddy (fundador da Ciência Cristã), empenhou-se em pregar a salvação e a cura em Jesus Cristo. Dava ênfase aos textos que falam de saúde e prosperidade, além de aplicar a técnica do poder do pensamento positivo. A Teologia da Prosperidade afirma que o crente não pode adoecer, passar por privações, dificuldades financeiras ou outros tipos de adversidades. A presença dessas situações na vida de um cristão é um sinal de que ele fracassou na fé ou carrega consigo algum tipo de pecado.

b) Dízimos e ofertas. O dinheiro, na teologia da IURD, ganha quase que um status sacramental. Segundo Macedo, o Espírito Santo nos faz compreender que o dinheiro, na sua obra, é sangue da Igreja do Senhor Jesus Cristo, pois que Ele, através de um meio qualquer de divulgação, faz com que pessoas recebam a vida eterna dentro de um hospital, lar, presídio etc. Ainda segundo Macedo, o dízimo é a chave pelo o qual os cristãos podem ter acesso aos tesouros da graça e o poder divino. "Quando pagamos o dízimo a Deus, Ele fica na obrigação (porque prometeu) de cumprir a sua palavra, repreendendo os espíritos devoradores que desgraçam a vida do ser humano, atuando nas doenças, acidentes, vícios, degradação social, e em todos os setores da atividade humana, os quais fazem o homem sofrer. Quando somos fieis nos dízimos, além de nos vermos livres destes sofrimentos, passamos a gozar de toda a plenitude da Terra, tendo Deus ao nosso lado, nos abençoando em todas as áreas", afirma Macedo.

c) Pontos de Contato. Segundo Macedo, pontos de contato são elementos usados para despertar a fé das pessoas, de modo que elas tenham acesso a uma resposta de Deus para seus anseios. Muitas pessoas têm dificuldade para colocar sua fé em prática, por isso precisam de pontos de contato (Doutrinas da Igreja, pág.101). Os pontos de contato incluem, além do uso de objetos mágicos, o uso de elementos da superstição popular brasileira. "Muitas pessoas dizem que a angústia e brigas são coisas da época em que vivemos. Isso é falso. São coisas resultantes da presença de demônios. Participe da campanha da arruda contra os maus espíritos na última sexta-feira do mês. Temos a oração de descarrego com arruda, uma oração forte, muito forte. Venha receber o pão da cura, o pão da benção, o pão do Espírito. Venha à Igreja Universal receber uma fita para colocar em seu braço. Você que hoje está com uma fita vermelha venha na próxima semana receber uma fita azul, em que está escrito: Persegui meus adversários e os venci. Venha, pois no domingo você vai receber a fita azul, da cor do céu. Largue a fita do Bonfim, dos santinhos, e venha receber a nossa fita azul". (Folha Universal, 2002, pág. 27)

d) Maldição Hereditária. Como parte de sua teologia, a IURD ensina o que ficou conhecido como "Maldição Hereditária", ou seja, a ideia que existem espíritos familiares que acompanham as gerações de uma família, causando-lhe os mesmos males. Macedo afirma: "Existe um espírito que só atua na destruição do lar. É o chamado espirito familiar. Você pode verificar isso a partir das etapas que o casal enfrenta na vida. Esse espírito normalmente vem dos pais. Se eles são divorciados, o mesmo espírito que destruiu o lar dos pais vai tentar destruir o lar dos filhos, dos netos, dos bisnetos. Isso é uma herança maldita (...) O espírito familiar passa de pai para filho por todas as gerações, até que a pessoa tenha um encontro com Jesus. Aí, corta-se a maldição!".

Johnny T. Bernardo é apologista, pesquisador da religiosidade
brasileira, jornalista e colaborador do Genizah


Leia Mais em: http://www.genizahvirtual.com/#ixzz1fqkIjRVS
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial Share Alike

Esperar Por Que?

"Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e
vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto
permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao
Pai ele vo-lo conceda" (João 15:16).

O grande compositor não busca inspiração para trabalhar,
mas, fica inspirado porque está trabalhando. Beethoven,
Wagner, Bach, e Mozart faziam seu trabalho costumeiro, dia
após dia. Eles não desperdiçavam tempo esperando por
inspiração. (Ernest Newman, Escritor)

O que estamos esperando para servir ao Senhor? O que estamos
esperando para falar das maravilhas do reino de Deus? O que
estamos esperando para sermos bênçãos aqui neste mundo?

Às vezes passamos dias, meses e até anos, esperando que o
Senhor nos chame. "Eu estou esperando a direção do Senhor",
alguns dizem. Mas, a Palavra do Senhor nos assegura de que
já fomos chamados! O Senhor nos escolheu e nos mandou sair e
produzir frutos! Vamos fazer o que já nos foi mandado e,
durante o trabalho, se o Senhor nos der outra direção,
obedeceremos. O Senhor não nos dará desafios maiores se não
estivermos seguindo aquilo que já nos deixou escrito!

Não há nada que nos inspire mais amor do que o ato de amar.
Não há momento de maior felicidade do que aquele em que nos
mostramos dispostos a semear alegria. Não há momento de
maior esperança do que aquele em que viramos as costas para
as dúvidas e abraçamos, de olhos fechados, a fé que o Senhor
nos oferece.

Eu quero estar trabalhando quando o Senhor me mandar fazer
alguma coisa. Eu quero estar trilhando as sendas da pregação
do Evangelho quando o Senhor me mandar seguir um caminho por
Ele determinado. Eu quero estar buscando ser uma bênção
quando o Senhor me disser: "Sê tu uma bênção".

Você quer ser escolhido para fazer a obra de Deus? Então não
espere mais, comece a trabalhar agora mesmo. Depois... deixe
por conta do Senhor.

A Marca Em Vermelho

"Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é
a vitória que vence o mundo, a nossa fé" (1 João 5:4).

Dizem que Napoleão, uma vez, tomando um mapa, apontou para
as Ilhas Britânicas e observou: "Se não fosse por esse
lugar, marcado em vermelho, eu teria conquistado o mundo".
Satanás também podia apontar para a cruz de Cristo e dizer:
"Se não fosse por essa marca, em vermelho, eu teria
conquistado o mundo."

Mas ele não conquistou! O Senhor Jesus, na cruz, foi o
grande Conquistador. Ele derrotou o mundo, derrotou a morte,
derrotou o ódio, derrotou a mentira, derrotou o desânimo,
derrotou o pessimismo, derrotou as adversidades, derrotou o
mal e o diabo. Ele venceu a todos e nos fez, nEle, mais que
vencedores.

Que seria de nós se não fosse o Senhor? Para onde estaríamos
seguindo se o nosso Salvador não nos estivesse dirigindo?
Onde encontraríamos a paz se Ele não nos desse? Onde
encontraríamos a vida abundante e eterna se a própria Vida
não as estivesse dando para nós?

Sim, foi a marca em vermelho, do sangue de Jesus, vertido na
cruz do Calvário, que transformou os nossos corações. Foi
aquela marca em vermelho que nos purificou e tornou brancas
as nossas vestes. Foi aquela marca em vermelho que nos tirou
do caminho da perdição e nos conduziu ao porto de nossa
salvação.

Hoje estamos livres, do medo, do pecado, da condenação.
Estamos livres porque Ele nos libertou. Estamos livres
porque Ele pagou o preço de nossa liberdade. Estamos livres
porque recebemos Cristo e nos tornamos filhos de Deus.

Cristo venceu o diabo e o mundo e nós também os vencemos...
pela fé!

Diversos trabalhos de evangelismo no mês de Novembro 2011.

Evangelismo de rua no centro de Uberaba

Onde Estão Os Guarda-Chuvas?

"Esperei com paciência no SENHOR, e ele se inclinou para
mim, e ouviu o meu clamor" (Salmos 40:1).

A seca ameaçava toda a colheita de certa região. Todos
estavam muito desanimados. Na igreja, o líder religioso
conclamou os membros da congregação a uma semana de jejum e
oração. Disse ele em seu sermão: "Não haverá esperanças para
nós a não ser que voltemos aos nossos lares e nos coloquemos
diante de Deus, pedindo a Ele que nos mande chuva. Façamos
uma semana de jejum e confiemos que Ele nos responderá. No
próximo fim de semana nos reuniremos para ver o resultado de
nossa semana de oração e para agradecer ao Senhor pela
resposta". Os irmãos atenderam o seu pedido e passaram a
semana em adoração e intercessão. No dia da reunião, todos
foram para a igreja e, assim que os viu, o líder mandou que
fossem embora. "Eu não dirigirei a reunião", disse o
pregador, "vocês não confiam verdadeiramente em Deus". "Mas,
nós jejuamos e nós oramos com toda fé", protestaram eles.
"Com toda fé", retrucou o líder, "e onde estão seus
guarda-chuvas?"

Até que ponto nós cremos, realmente, na resposta de Deus às
nossas necessidades? Até que ponto somos capazes de esperar
pacientemente pela vontade de Deus? Até que ponto
conseguimos resistir sem murmurações?

Muitos dizem que confiam no Senhor, lêem a Bíblia todos os
dias, vão para a igreja com frequência e... no primeiro
obstáculo, no primeiro dilema, na primeira tempestade
enfrentada, se queixam e dizem que Deus não se importa com
eles!

Quem crê, com uma fé genuína, não desiste, não se exaspera,
não se abate. Simplesmente espera com paciência que a
vontade e o tempo de Deus tragam a resposta. O Senhor sempre
responde, hoje ou amanhã, mas, não falha jamais.

Onde estão os guarda-chuvas de nossa fé?

FGV: País tem queda de 7,26% no número de católicos em 6 anos



Queda também é expressiva entre jovens de 15 a 19 anos, público alvo da Jornada Mundial da Juventude, que será realizada no Rio em 2013

Pouco depois do anúncio oficial do papa da realização da Jornada Mundial da Juventude de 2013 no Rio de Janeiro, uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostra uma expressiva queda no número de católicos no País.

O mapa das religiões no Brasil mostra uma queda de 7,26% no número de pessoas que se declararam católicas em 6 anos (passando de 73,79%, em 2003, para 68,43%, em 2009). A pesquisa também apresenta um significativo aumento no número de brasileiros que se declararam "sem religião": 1,59 ponto percentual, chegando a 6,72% em 2009.

Queda também é expressiva entre jovens de 15 a 19 anos, público alvo do evento que será realizado no ano que vem. Católicos nessa faixa etária passaram de 75,22% em 2003 para 67,49% em 2009.

O levantamento também aponta a evolução recente de outras crenças para os grupos sócio-demográficos e geográficos brasileiros. A pesquisa realizou 200 mil entrevistas sobre composição religiosa no final da década passada.

Justiça dá a estudante adventista direito de faltar a aulas

Uma estudante adventista matriculada numa universidade católica do interior de São Paulo conseguiu na Justiça, na semana passada, o direito de não ir às aulas às sextas à noite e aos sábados de manhã.

Quielze Apolinario Miranda, 19, é da igreja Adventista do Sétimo Dia, que prega o recolhimento da hora em que anoitece nas sextas-feiras até o fim do dia dos sábados.

Aluna do 1º ano do curso de relações internacionais da USC (Universidade Sagrado Coração), instituição fundada por freiras católicas em Bauru na década de 1950, Quielze nunca foi às aulas noturnas às sextas e aos sábados e corria o risco de ser reprovada por faltas.

Ela diz ter tentado negociar com a reitoria para apresentar trabalhos alternativos. A USC, de acordo com a estudante, negou em várias instâncias o pedido.

"Geralmente, em outras faculdades é mais fácil. O pastor entrega uma cartinha falando sobre liberdade religiosa e o aluno consegue a dispensa", afirma. "Aqui, não consegui."

TRABALHO EXTRACLASSE

No último dia 16, o advogado da aluna, Alex Ramos Fernandez, entrou com mandado de segurança na Justiça Federal de Bauru.

Solicitou a substituição das atividades das 18h das sextas às 18h dos sábados por "prestações alternativas", como trabalhos extraclasse.

"O que ela estava buscando era uma igualdade para preservar o sentimento e a intimidade religiosa dela", diz.

"Nesses casos o aluno até estuda mais, pois os professores dão trabalhos mais elaborados do que assistir a uma aula. Não há uma quebra de isonomia entre os alunos."



AMPARO LEGAL

O juiz da 3ª Vara Federal de Bauru, Marcelo Zandavali, concedeu uma liminar que obriga a USC a oferecer atividades alternativas.

De acordo com o texto, a USC alegou que faltava ao requerimento da aluna "amparo legal".

O magistrado discordou da instituição e baseou sua decisão nos artigos 5º e 9º da Constituição e na lei paulista nº 12.142, de 2005, que assegura ao aluno esse direito em respeito à sua religião.

A USC informou que só vai se manifestar depois de ser oficialmente notificada.

Segundo o advogado de Quielze, que é adventista e se especializou em casos como o dela, a Justiça vem atendendo, nos últimos anos, aos pedidos de alunos adventistas e judeus, que também guardam os sábados.

A igreja Adventista do Sétimo Dia, religião cristã que surgiu nos anos 1840 nos Estados Unidos, tem como doutrina a crença que Jesus voltará -o advento- e que os mortos dormem, inconscientes, até a ressurreição. Existe no Brasil desde 1894.

FALSA PROSPERIDADE

Missionário clama por missão no sertão nordestino
O missionário Claudio Pimenta gravou um protesto bastante contundente junto a uma ossada no sertão nordestino, e convidou os Pastores que pregam na TV a conhecerem a realidade das cidades mais pobres do sertão brasileiro.
“Esse vídeo é um desabafo. Eu queria convidar os senhores evangelistas da TV, que estão nas grandes metrópoles, cidades com maiores índices de desenvolvimento humano, para virem pregar o evangelho falso da prosperidade nessa região, uma terra em que urubu morre de fome e só missionário compromissado com o Reino dos céus sobrevivem”, declara o Missionário.
Ironizando a prática recorrente nas igrejas neopentecostais, o Missionário pede para que os pregadores da televisão visitem a região assolada pela seca e pobreza para que levem as riquezas mencionadas em suas pregações ao local: “Eu faço um apelo a vocês: se quiserem conhecer essa região, uma das localidades menos evangelizadas do Brasil, já que tudo que vocês tocam vira ouro podem vir aqui, transformar a vida desse povo. Aí sim, nós vamos dar credibilidade ao falso evangelho da falsa prosperidade”.
Citando passagens bíblicas em que o cristão é exortado a viver com o básico, como roupas e alimento, ele desafia novamente os pregadores da teologia da prosperidade. “Quero ver você, pregador da TV, pregar o evangelho da prosperidade na favela da Rocinha, ou no sertão do Ceará ou do Piauí, nas regiões menos evangelizadas, com pobreza extrema, onde as pessoas vivem com bolsas do governo federal, R$ 90, R$ 130, R$ 160 por mês. Quero ver vocês construírem suas catedrais, comprarem aviões, viverem luxuosamente, num lugar como esse” desafia Pimenta.
O Missionário encerra seu desabafo convidando os líderes cristãos a uma reflexão: “Fica aqui o meu apelo: usem o dinheiro que vocês estão gastando na compra de jatinhos, mansões, ternos de R$ 10 a R$ 2o mil e relógios caros, para pregar o evangelho e abrir igrejas nas cidades de menor IDH (Índice de Desenvolvimento Humano, que é estabelecido pela ONU – quanto menor, maior a pobreza) do Brasil, nas cidades mais miseráveis desse país. Aí sim, vocês estarão cumprindo o mandamento de Cristo”.

A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) anunciou que irá construir na zona do Brás, leste da cidade de São Paulo, uma réplica do Templo de Salomão,



A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) anunciou que irá construir na zona do Brás, leste da cidade de São Paulo, uma réplica do Templo de Salomão, segundo o padrão e medidas originais.

Com 126 metros de comprimento e 104 de largura, o templo irá ocupar um quarteirão inteiro de 28 mil metros quadrados e promete ser maior que a histórica Catedral da Sé de São Paulo, a maior igreja católica da cidade. Estas medidas superam as de um estádio de futebol convencional. O edifício terá 55 metros de altura, o equivalente a um prédio de 18 andares e terá quase 2 vezes a altura do famoso "Cristo Redentor", no Rio de Janeiro. A obra está orçamentada em 200 milhões de reais (cerca de 90 milhões de euros).
A decisão foi anunciada no blog do próprio líder desta igreja, o bispo Edir Macedo, que informou que o recinto ocupará uma área útil de 70 mil metros quadrados. Segundo a previsão, a obra ficará concluída daqui a 4 anos.
O mega templo poderá acolher até 10 mil fiéis e utilizará o espaço para 36 escolas bíblicas que albergarão cerca de mil crianças, estúdios de rádio e TV, um auditório para 500 pessoas e ainda um estacionamento para mais de 1000 carros.
O templo foi projectado para causar o menor impacto possível ao meio ambiente, indo utilizar materiais reciclados e regionais de alta tecnologia que irão fazer um uso racional da energia, possibilitando a reutilização da água e do calor.
Segundo o arquitecto e autor do projecto, Rogério Silva de Araújo, o empreendimento "é arrojado e emprega tecnologia de ponta", para que quando as pessoas entrarem no local façam uma viagem pelo tempo e se sintam como se estivessem dentro do primeiro Templo de Jerusalém construído pelo grande rei Salomão: "Começando pela fachada, passando pelo átrio e chegando à nave interior, criamos uma visão de maneira a remeter as pessoas ao passado. Para tanto, estamos nos valendo de toda tecnologia de ponta associada ao bom senso na arquitectura, de maneira a não criar este choque de épocas." - informou Araújo.
Dentro do templo, haverá ainda uma réplica da Arca da Aliança colocada sobre o altar com o objectivo de causar um efeito tridimensional e que, quando aberta, poderá ser inteiramente vista no seu interior, reflectindo-se também no baptistério da igreja, criando a sensação durante o baptismo de que a pessoa estará sendo baptizada dentro da Arca. Na parte frontal do altar serão aplicada 12 pedras representando as 12 tribos de Israel, e todo o altar será ladeado por 2 colunas diferenciadas chamadas de Joaquim e Boaz, nomes referenciados na Bíblia.
Nas palavras do próprio bispo Macedo, o local não será de ouro, mas as riquezas dos detalhes empregues em cada parte do templo serão muito parecidas com as do templo original: "Nós encomendamos o mesmo modelo de pedras de Jerusalém que foram usadas por Salomão, pois vamos revestir as paredes do templo com elas. Nós queremos que as pessoas tenham um lugar bonito para buscar a Deus e também a oportunidade de tocar nessas pedras e fazer orações nelas" - comentou o bispo durante uma reunião realizada em São Paulo. Edir Macedo acredita que as visitas ao templo não se limitarão apenas aos fiéis da IURD, mas que o mesmo se tornará num ponto turístico e cultural que irá atrair pessoas do mundo inteiro.
Comentando no seu blog pessoal acerca deste mega projecto, o bispo Macedo diz o seguinte: "Somente os espirituais têm discernimento para dimensionar a importância desse Templo para a fé cristã. Não se trata de um projecto denominacional, muito menos pessoal. Mas, algo tão glorioso, do ponto de vista espiritual, que transcende a própria razão. Certamente, despertará a fé adormecida dos frios ou mornos e os arremeterá a um avivamento a nível nacional e, em seguida, mundial". - falou o bispo.
Interessante é que no cabeçalho do seu blog o bispo cita o texto de Tiago 5:8 em que "...a vinda do Senhor está próxima". Não parece estar para este mega empresário... Visão comercial e empresarial nunca lhe faltou. O bispo Macedo não se contenta com pouco: agora passou para o clube dos megalómanos...
Se a vinda do Senhor está próxima, como pessoalmente creio, 200 milhões de reais seriam mais bem empregues em esforços evangelísticos para levar vidas preciosas à salvação pela graça do que na compra de pedras vindas de Israel (8 milhões de dólares...) ou na construção de mega estruturas fabricadas por mentes megalómanas que visam a projecção e glória pessoais em detrimento da busca genuína daquilo que realmente agrada a Deus.
Nada temos pessoalmente contra este projecto grandioso, que poderá acarretar milhões à IURD, tanto mais que visa atrair turistas do mundo inteiro. Afinal, como empresário de sucesso, Edir Macedo tem o direito de promover o seu próprio negócio. O que é um contrasenso é utilizar textos e princípios bíblicos ligados à Velha Aliança para defender uma "fé" baseada na Nova Aliança. Isso não! É um abuso e provocação à essência do Evangelho de Cristo. A ordem de Cristo nada tem a ver com a construção de mega estruturas destas, nem a edificação das mesmas promoverá a verdadeira fé bíblica! Tanto quanto leio nas Escrituras Sagradas, a fé que agrada a Deus está assente na simplicidade e realidade de uma vida fundamentada na essência do que é invisível mas real, no que é materialmente inexpressivo mas riquíssimo em espiritualidade e virtuosismo.
Afinal, o mais importante investimento é o eterno, ou seja, na salvação das vidas perdidas, e não naquilo que é efémero, pois que o próprio Templo original de Jerusalém construído pelo rei Salomão ficou reduzido a escombros, com a permissão do Altíssimo, quando Ele viu que a realidade e busca visíveis no Seu povo eram completamente opostas ao Seu plano original de satisfação espiritual por aquilo que Ele é, e não pelo que Ele pode dar ou fazer.
Afinal, nas palavras do primeiro mártir cristão, "O Altíssimo não habita em templos feitos por mãos de homens..." (Actos dos Apóstolos 7:48).
Tendo em vista a realidade actual e o ultimato missionário conferido por Cristo à Sua Igreja, lamento que este mega investimento venha acrescentar mais à glória pessoal de Edir Macedo e sua igreja do que ao Altíssimo Deus que deseja ser visto e reconhecido naqueles que O desejam e seguem, encontrando nos seus corações a verdadeira beleza, não nas pedras ou templos que Lhe possam dedicar.
Shalom!

Globo quem te viu e quem te vê por aqui

A música mais "endiabrada" dos últimos tempos (palavras do bispo Macedo, han?) será o prato de entrada dos especiais de fim de ano na Globo. Dia 18 de dezembro, às 22h30, a Globo exibe o show "Promessas".

Obra do núcleo de Luiz Gleiser, o "especial" é, na verdade, um festival que será promovido e gravado no Aterro do Flamengo uma semana antes. Participam algumas das estrelas do gospel brasileiro, obviamente as que têm contrato ou parceria com a Som Livre Gospel. Exemplo, não tem ninguém da gravadora da Igreja Universal, certo?

Nunca antes neste país...

Será o primeiro show gospel da história da Rede Globo e, logo de cara, uma superprodução em rede nacional. Entre os convidados estão David Sacer, Fernanda Brum, Fernandinho, Regis Danese, Damares, Ludmila, Pregador Luo e Eyshila. Um dos pontos altos deve ser a participação da "queridinha" do bispo Macedo, a cantora Ana Paula Valadão, do Diante do Trono. Brincadeira, ele não é fã dela, como sabem.

Globospel...

Dependendo do ibope desse especial do dia 18, a Globo vai repetir a dose com novos episódios em 2012. Conforme esta coluna antecipou na semana passada, em breve a emissora terá uma atração gospel semanal, algo absolutamente impensável alguns anos atrás.

Porque não é mais impensável...

1) Estima-se que, em 2011, a indústria da música gospel no Brasil movimentou R$ 2 bilhões
2) A pirataria devora 15% dos produtos gospel, quando em outros estilos pode chegar a 60%
3) Comparação, os 4 CD´s da coleção "Promessas" (que deu origem a esse especial do dia 18) venderam 482 mil cópias. Luan Santana, álbum mais vendido em tooooodo 2010, conseguiu vender pouco mais de 230 mil cópias
4) E, meus caros, há artistas (como Aline Barros, Soraya Moraes etc) que não estão no selo gospel da Globo e vendem ainda mais.

Mais ou menos este negócio de pouca pirataria entre os evangélicos. Deve ser a velha feição... Aqui a coisa é igual.

Líder Ou Seguidor

"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida;
ninguém vem ao Pai, senão por mim" (João 14:6).

S. I. McMillen, em seu livro -- Nenhuma destas Doenças --
conta a história de uma jovem que quis ir para a
universidade, e que ficou deprimida quando leu a seguinte
pergunta no formulário de aplicação: "Você é um líder?"
Sendo, ao mesmo tempo, honrada e conscienciosa, ela
escreveu: "Não", e devolveu o formulário, esperando o pior.
Para sua surpresa, ela recebeu esta resposta da
universidade: "Querida Candidata: Um estudo dos formulários
de aplicação, revela que este ano nossa universidade terá
1.452 novos líderes. Nós estamos aceitando você porque nós
sentimos que é imperativo que eles tenham pelo menos um
seguidor."

O que nós somos? Líderes ou seguidores? Fazemos o que bem
desejamos e seguimos para onde aponta o nosso nariz ou
estamos cientes de que é melhor ouvir a voz de um grande
Líder e seguir a direção que Ele nos der? Achamos que somos
capazes de alcançar nossos objetivos e realizar os nossos
sonhos sem a ajuda de ninguém ou, humildemente, reconhecemos
que não existe pessoa melhor para nos conduzir do que o
Senhor e Salvador Jesus Cristo?

Muitos de nós tropeçamos e caímos constantemente na estrada
da vida porque não aceitamos que o Caminho nos dirija.
Muitos de nós somos confundidos e enganados porque não
deixamos que a Verdade ilumine nossas mentes. Muitos de nós
estamos à beira da morte espiritual porque não abrimos o
coração para o Senhor que é a Vida, abundante e eterna.

O Senhor Jesus é o nosso Líder. Com Ele temos a plena
convicção de que chegaremos ao lugar desejado. Com Ele não
nos emaranharemos na teia da mentira. Com Ele não nos
tornaremos prisioneiros da morte, mas, libertos pela
Verdade, viveremos em paz, gozo e felicidade, para sempre.

TREINAMENTO DE EVANGELISMO DE RUA 2012

Como funciona:
O treinamento é ministrado em três partes.
1* parte teoria
2* parte pratico
3* parte desenvolvimento de novos trabalhos.

Quanto tempo:
Sexta a noite 19:30 as 21:30h
Sábado das 15:00 as 18h
Sábado a noite ministramos uma palavra evangelística, e podemos sair para o pratico de rua.
Domingo pratico de rua novamente.
Um fórum para discutir os trabalhos.

Assuntos abordados:
Segue o logo do treinamento com temas abordados, para o ano de 2012, vamos ter muitas novidades.

Quanto ao gasto:
Pedimos ajuda para cobrir os gastos da viagem e uma oferta para dar continuidade no obra missionária.

Onde ficamos:
Podemos ficar na igreja, casa dos irmãos, quanto a alimentação o mais simples possível arroz, feijão e ovo esta ótimo rs rs.

Qual o valor do treinamento:
Uma oferta especial para continuar esta obra que o senhor nos confiou.

Colocamo-nos a disposição para qualquer eventual dúvida

Coordenador da Equipe fratria além da tribos
Fabiano Santiago

skype fabianologos
MSN fabianosaldaterra@uol.com.br

Tel. TIM 34 9119-1463 / 34 8824-4006
Tel. OI 34 8858-4006

A Importância da Evangelização nos dias de hoje.

O Evangelho precisa ser analisado tendo em vista suas muitas tonalidades culturais, étnicas, geográficas e históricas. Vejam as respostas na pesquisa nacional com referências às principais características e ênfases nos modelos utilizados para plantação e crescimento:


TEMAS %

A Evangelização 31

B Pequenos Grupos e Células 19

C Pregação/ oração / Bíblia 16

D Igreja com propósitos 12

E Eventos / propaganda 9

F Ensino e discipulado 9

G Capacitação de líderes 9

H Sem resposta 9

I Adoração / louvor / edificação 8

J Comunhão / intercessão / aconselhamento 8

K Vários métodos / parcerias 6

L Pontos de pregação 6

M Dons / curas 5

N Missões / serviço 4

O Plantação de igrejas com infraestrutura própria 4

P Atendimento comunitário 4


Q Redes ministeriais 3

R Pesquisa e contextualização do evangelismo 3

S Sem modelo / não sabe 3.3

Conforme se vê acima, evangelização ganha disparado a corrida como maior ênfase (31%). Pequenos grupos e células vêm logo em seguida com 19%. Vemos também que apenas 5% das igrejas pesquisadas utilizam dons em curas como sua maior ênfase. Isso talvez reflita o esfriamento espiritual especialmente na igreja pentecostal. Apesar da propaganda focada nos milagres e maravilhas, os resultados não acontecem com a mesma frequência com que vinham acontecendo no movimento pentecostal avivalista das décadas de setenta e oitenta. Os rótulos são diversos, mas apatia, indiferença e arrefecimento da fé cristã encontram-se presentes em quase todos os conteúdos denominacionais. Sem sombra de dúvidas, diversas respostas da pergunta acima revelam um pouco do enigma, do caos em que se encontra a igreja evangélica brasileira bem como a falta de direção dos pastores e líderes. Por exemplo, 9% das igrejas não responderam essa questão, 6% usam um mix de métodos e o que é pior, 3,3% não possuem uma ênfase, ou seja, “estão atirando para todos os lados”.

A prioridade ao evangelismo, recrutamento de novos membros e crescimento numérico, de forma dramaticamente óbvia, visa apenas a “cristianização” da comunidade na aparência, nos números e no tamanho. O critério para o sucesso da igreja resume-se ao crescimento numérico e recursos financeiros. Parece que neste mundo evangélico do “vale-tudo”, todo tipo de metodologia pode ser utilizada, desde que produza crescimento. Que visão distorcida e reduzida do Evangelho! Os valores do Evangelho possuem apenas um papel secundário e a igreja passa praticamente despercebida pelo povo que mora ao redor (de verdade, quem gostaria de residir ao lado de uma igreja, nos horários de culto?). Além disso, as igrejas continuam balançando de um lado para o outro do pêndulo, indecisas, inseguras se devem investir mais na evangelização e projetos evangelísticos ou se devem praticar mais assistência social na comunidade local.


Evangelização Integral e David Bosch

David Bosch resume o evangelismo como dimensão e atividade da missão da igreja que, através da palavra e da ação e à luz de condições específicas e de um contexto singular, oferece a toda pessoa e comunidade, em qualquer lugar, uma oportunidade válida de ser diretamente desafiada a uma radical reorientação de sua vida, uma reorientação que implica coisas como ser libertado da escravidão do mundo e de seus poderes; aceitar a Cristo como Salvador e Senhor; tornar-se um membro vivo de sua comunidade, a igreja; ser arrolado em um serviço de reconciliação, paz e justiça na terra, e comprometer-se com o propósito de Deus de colocar tudo sob o senhorio de Cristo. Ele esboça 18 considerações para uma melhor compreensão do evangelismo, especialmente em suas relações com a missão que resumem e acrescentam os vários temas abordados até o momento:

1. A missão é mais ampla que o Evangelismo. Missão denota a tarefa global que Deus deu à igreja para a salvação do mundo. Ela é a igreja enviada ao mundo para amar, servir, pregar, ensinar, curar, libertar.

2. Evangelismo não pode ser equiparado à missão. Evangelismo é parte integrante da missão mais abrangente da igreja, está inserido na missão global da igreja.

3. Evangelismo é “dimensão” essencial da atividade global da igreja, como coração ou cerne da missão da igreja.

4. Evangelismo implica testemunhar o que Deus fez, está fazendo e fará, como mediador da boa nova do amor de Deus em Cristo que transforma a vida humana.

5. Evangelismo objetiva uma resposta, mudanças específicas, renunciando evidências do domínio do pecado em nossas vidas, aceitando responsabilidades em termos do amor de Deus.

6. Evangelismo representa um convite. É comunicar alegria, uma mensagem positiva de esperança. Não é o mesmo que (1) oferecer uma panaceia psicológica para as frustrações e desapontamentos das pessoas, (2) inculcar sentimentos de culpa para que as pessoas em desespero se voltem para Cristo, ou (3) assustar as pessoas a fim de que se arrependam e convertam com estórias sobre os horrores do inferno. As pessoas devem ser atraídas pelo amor de Deus.

7. A pessoa que evangeliza é uma testemunha, não um juiz. Newbigin nos lembra que jamais posso saber se a pessoa que rejeita meu testemunho rejeitou a Jesus.

8. Embora devamos ser modestos quanto ao caráter e à eficácia de nosso testemunho, o evangelismo permanece um ministério indispensável. Não representa um acessório opcional, mas um dever sagrado.

9. O evangelismo só pode acontecer quando a comunidade que evangeliza –a igreja, é uma manifestação radiante da fé cristã e exibe um estilo de vida atraente. Muitos não confessam a Cristo porque rejeitaram-no pelo que viram na vida dos cristãos.

10. O evangelismo oferece às pessoas a salvação como uma dádiva presente e, junto com ela, a garantia de bem-aventurança eterna, pois pessoas estão procurando desesperadamente um sentido para a vida. Mas se essa oferta constituir o centro do evangelismo, degrada-se o Evangelho a um artigo de consumo e Cristo é reduzido a pouco mais que um fornecedor de bênçãos especiais.

11. Evangelismo não é proselitismo, onde as pessoas de outros grupos sociais e igrejas sejam vistas como “candidatos” a serem ganhos. Grande parte disso reflete a tendência de construir impérios.

12. Evangelismo não é o mesmo que extensão eclesiástica, sinônimo de expansão da igreja através do incremento numérico de membros. A atenção do evangelismo não deveria estar voltada para a igreja, mas para o reinado de Deus.

13. Distinguir entre evangelismo e recrutamento de membros não significa sugerir que ambos estejam desconectados. Faz parte do cerne da missão cristã fomentar a multiplicação de igrejas. Sem a igreja é impossível haver evangelismo ou missão. Mas as estatísticas são menos úteis quando queremos medir o grau de eficácia e responsabilidade do evangelismo na igreja. Um evangelismo autêntico pode causar a diminuição dos membros de uma igreja.

14. Apesar de não ser individualista, no evangelismo, “só é possível dirigir-se a pessoas, e só elas podem responder. O evangelismo tem uma dimensão pessoal e social.

15. O evangelismo autêntico sempre é contextual, valorizando a história, contexto e ética social. O Evangelho implica no senhorio de Cristo em todas as esferas da vida.

16. O evangelismo não pode ser dissociado da pregação e prática da justiça. Ser um discípulo de Cristo implica em aceitar um compromisso com Cristo e um chamado ao serviço do Reino de Deus. Evangelismo significa angariar pessoas para o reinado de Deus, libertando-as de si mesmas, de seus pecados e de seus enredamentos, a fim de que sejam livres para Deus e o próximo.

17. Evangelismo não é um mecanismo para apressar a volta de Cristo. Barret e Reapsome (1988), calculou que houve 788 planos globais para evangelizar o mundo e que a maioria deles estava relacionada com expectativas escatológicas. Os projetos fascinados com o ano 2000 mostraram-se altamente questionáveis.

18. Evangelismo não é apenas proclamação verbal, apesar de possuir uma dimensão verbal da qual não é possível escapar. Mas não existe uma única maneira de testemunhar Cristo. A Palavra jamais pode estar divorciada da ação. Não é possível empacotar o evangelismo em 4-5 princípios. Não há um plano mestre, uma lista de verdades absolutas. Só nos é possível testemunhar o Evangelho de maneira ousada e humilde, concomitantemente.

Será que podemos impor nossos mapas como único caminho para nortear os confusos, indecisos e peregrinos à beira do caminho ou prescrever nossos próprios medicamentos como a única solução e cura das doenças? Quando fazemos isso dizemos que somos mais importantes, somos melhores que vocês. O cristão deve refletir o seguinte na conversão de não cristãos: como desenvolver um relacionamento pessoal e fraternal com eles antes e depois de evangelizá-los? Qualquer tipo de aproximação ou conversa que não tenha interesse em continuar num bom relacionamento irá quebrar a comunicação. Precisamos trazer o dom da certeza num clima de ambiguidade, com clareza sem superioridade.


Rubens R. Muzio – Sepal

Jornal da manhã e o padrão moral Evangélico!



Na última segunda-feira dia 19 de setembro de 2011, o Jornal da Manhã, jornal pertencente ao Grupo Jm de Comunicação, sediado em Uberaba-MG, trouxe como principal matéria de capa a seguinte manchete:
“Evangélico mata esposa com 5 tiros”
Antes de qualquer comentário, quero dizer que o fato em si, é horrível, desaprovável e triste, independente de quem cometeu tamanha mostruosidade.
Alguns pontos precisam ser ponderados, quem disse que o suspeito é evangélico? O jornalista que escreveu a matéria sequer assinou a mesma.
Olha como são as coisas, algumas semanas atrás o mesmo jornal repercutiu sobre o trágico assassinato de três mulheres que foram esquartejadas pelo marido. Em momento algum se falou a qual religião ele pertencia.

O ponto que quero aqui levar a reflexão é o destaque dado a opção religiosa de quem cometeu o crime.Quantas vezes você já leu as seguintes manchetes nos jornais: “CATÓLICO fez isso”, “MAÇON fez aquilo”, “ESPÍRITA é acusado de aquilo outro” e por aí vaí?

É público e notório que as más notícias envolvendo evangélicos ou supostos evangélicos encontram ampla acolhida na mídia global. É público e notório que somente com relação aos evangélicos é mencionada a opção religiosa dos envolvidos em escândalos ou em qualquer falcatrua. É de se repudiar qualquer tentativa de manchar a imagem da comunidade evangélica, que incontáveis benefícios tem proporcionado à família brasileira.

Desabafos e denúncias contribuem para uma melhor conscientização. Por exemplo, é público e notório que as opções religiosas dos envolvidos em qualquer desvio de conduta só são divulgadas quando o infrator é evangélico ou se diz evangélico. Para citar apenas um exemplo, nunca foi informada a opção religiosa do juiz Nicolau, acusado de desvio de muitos milhões de reais; nunca revelaram a religião dos anões do orçamento, nem de qualquer um dos envolvidos em centenas de escândalos financeiros; nunca foi feita uma pesquisa para verificar as opções religiosas dos milhares de presos que respondem por roubos, assassinatos, estupros, seqüestros e outros delitos. Sem sombra de dúvida, muitos deles são católicos, batizados no catolicismo, ou espíritas ou maçons, até mesmo alguns ateus.

O sistema global divulga também notícias boas sobre evangélicos. A diferença está na proporção, na ênfase, na profundidade. É um modo perverso de formar opinião. Vou dar um exemplo bem antigo, mais que vale como reflexão, no Jornal Hoje, dia 07.06.2003, a notícia televisiva sobre A Marcha para Jesus durou menos de um minuto. Logo em seguida, foi veiculada uma reportagem de quase dez minutos sobre bruxaria, ensinando como fazer feitiço, como deve ser uma bruxa moderna.

Faço minhas as palavras do amigo Mário Magalhães. Eu acredito que essas manchetes tenham, por trás, uma cobrança que um evangélico ou cristão seria a única pessoa que não faria isso. Infelizmente, o que dava notícia mesmo era isso. As outras religiões não faria efeito nenhum. Portanto, isso para mim demonstra uma visão, de uma certa forma, que os evangélicos têm ética superior.

Fazendo parte da grande comissão

Missões Transculturais a fé sem fronteiras
Entre o dia 01 a 30 de setembro os missionários, Fabiano Santiago, (Uberaba – MG), Marco Ferreira, (Goiânia – GO), e Estavan Anderle, Gisele Anderle (Brasília DF), vão desbravar o chamado do ide do Senhor, Passando por diversas cidades, Campo Grande, Corumbá, Puerto Suarez e Santa Cruz de La Sierra. Onde sera ministrado para liderança local e treinamento de evangelismo para capacitar e enfluenciar com novas formas de evangelsimo de impacto, conto com sua oração e ajuda financeira para dar continuidade nesta obra. Qualquer duvida msn fabianosaldaterra@uol.com.br tel. 34 9119-1463.

FRATRIA ALÉM DAS TRIBOS 2011

Treinamento de evangelistas e capacitação de lideres

VISÃO
Unir o corpo de Cristo e um só propósito, pois somos livres, mas comprometido na fé. Para isso com os fracos nos tornaremos fracos, para ganhar os fracos, nos tornaremos tudo para com todos, para de alguma forma salvar alguns. I Co 9:22

Missão
Sermos facilitadores no sentido de oportunizar a troca de experiências que cada parte do corpo de Cristo tem vivido em suas respectivas realidades; de forma a intensificar a expansão do verdadeiro evangelho de Cristo através de ferramentas e estratégias evangelísticas baseadas em princípios bíblicos.






Representantes de diversas cidades, como Goiânia/GO, Vila Velha/ES, Rio Verde/GO, Uberlândia/MG, Igarapava/SP, São Paulo/SP, Curitiba, Patrocinio/MG, Patos de Minas/MG, Santa Juliana/MG, Conceição das Alagoas/MG entre outras; já confirmaram presença neste evento que tem como foco capacitar líderes e a geração jovem através de:
- Mesas redondas;
- Fóruns de Debates;
- Oficinas; e
- Apresentação de projetos e trabalhos que tem sido desenvolvidos por todo Brasil.
Não perca esta oportunidade...

O encontra fratria além das tribos disponibiliza para você três formas de pagamentos, cartão de credito, debito em conta e boleto bancário.



Logotipos de meios de pagamento do PagSeguro
















Vídeo não pode ser exibido.







Contatos por telefone:

(34-8824-4006)fabianosaldaterra@uol.com.br fabianologos@gmail.com
(34-9119-1463) fabianosaldaterra@uol.com.br fabianologos@gmail.com
(34-8828-3036)isabel.camargos@gmail.com isabel_camargos@msn.com
(34-9194 0394)brunoabragante@gmail.com contato@fratria.com.br
(34-3314 7613)brunoabragante@gmail.com contato@fratria.com.br

www.fratria.com.br
Faço tudo isso por causa do evangelho, para ser co-participante dele. 1 Co 9:23

EQUIPE FRÁTRIA EM AÇÃO

Dossiê Universo Jovem MTV

O Brasil é um país jovem. A população entre os 12 e 30 anos ultrapassa os 64 milhões e, além de ser um grande contingente, é muito complexa e mudam muito rápido. Procurando entender esse universo tão vasto, MTV desenvolveu uma pesquisa sem precedentes no país. O resumo dos dados você confere aqui.

O tempo na era digital: o agora já foi

Uma certeza nos acompanhou durante todo o processo de desenvolvimento deste documento: a de não poder parar o tempo. As informações são abundantes – mas, assim que encontrávamos um dado, ele já ficava obsoleto. Instantaneamente, a última informação era atualizada numa velocidade que não dá para ser medida.

Crescimento, mudança, inovação, rapidez: essas são as palavras que mais apareceram enquanto pesquisávamos consumo de mídia e tecnologia nos tempos atuais. O melhor é sempre o que está para chegar, o próximo. A tendência acontece num instante. O tempo ficou obsoleto na era digital.

Neste Dossiê, os principais aprendizados sobre essa geração e seu consumo de mídia e conteúdos são:

• Os conceitos de on-line e off-line são ultrapassados; aliás, para esses jovens, nunca existiram.
• Os jovens são imediatistas, hedonistas, sem percepção do tempo. Eles não conseguem esperar. Demorou, já era.
• Os amigos são formadores de opinião muito relevantes (se não forem os mais relevantes).
• Essa geração valoriza portabilidade e acesso. Se antes o jovem navegava na internet grudado na cadeira e ao computador de mesa, agora ele vai estar cada vez mais conectado por diferentes gadgets e em qualquer lugar. Com todo o seu arquivo de músicas, fotos e contatos num só aparelho, essa geração poderá ter vínculos mais superficiais com países, lugares, casas, empresas, marcas e pontos de venda.
• Essa geração ama música e movimento e é apaixonada por telas de todos os tipos e tamanhos. É preciso estar preparado para produzir conteúdos para todas essas telas. Mesmo considerando que sempre haverá jovens apaixonados por livros, revistas e jornais impressos, esses meios serão consumidos na forma digital pela maioria deles.
• Entre os jovens, há os que gostam mais e os que gostam menos da tecnologia: diferentes grupos se relacionam de diferentes formas em relação às inovações. É preciso entender a convergência de tecnologias através do olhar desses diferentes grupos de jovens, e entender a forma como cada um usa seus aparelhos. Mesmo com essas diferenças, essa geração tem mais facilidade do que qualquer outra para adotar as tecnologias.
• Alguns conteúdos são mais transmídia do que outros, como a música, que é um conteúdo consumido em todos os meios de comunicação e gadgets possíveis.
• O jovem valoriza também a conveniência. Mesmo tendo preferência por um ou outro meio de comunicação, ele sempre vai preferir o meio que estiver mais acessível no momento; por exemplo: mesmo preferindo assistir filmes no cinema, ele vai assistir na TV, no notebook e até em uma microtela se preciso for. Independentemente da plataforma, essa geração não abre mão de qualidade de som e imagem.
• A propaganda é um conteúdo que o jovem brasileiro gosta de consumir. No entanto, hoje, além de boa propaganda, o jovem quer informação relevante e relacionamento com as marcas, lembrando que relacionamento significa diálogo, e não conversa unilateral.
• Essa geração aprendeu que tudo pode ser customizado: roupas, tênis, ringtones, telas de computador e celular, seleção de músicas, até programação de TV e, portanto, também os planos de mídia. Mesmo sabendo que é difícil, vale lembrar que o jovem também é mídia. Existe a oportunidade para as marcas criarem conteúdos pelos quais os jovens se apaixonem. O caminho é estudar, entender, encantar e engajar os jovens com o conteúdo. Eles adoram dividir suas descobertas.
• Não há como subestimar o poder da comunicação on-line e das redes sociais. O hábito de iniciar a navegação pelas redes, e não por sites de busca ou portais, é crescente entre os jovens. No entanto, para usá-las como meio para comunicar marcas, é preciso pedir licença e dar algo valioso em troca.

Máximas levadas para o vídeo:

1- Meio e conteúdo sem fronteiras
Partindo do princípio de que essa geração consome muita mídia e muitos meios de forma simultânea, este Dossiê teve como missão analisar de que forma esses meios coexistem.
Os jovens buscam conteúdo e acesso à comunicação sem considerar o aparelho e/ou o meio ( essa barreira conceitual não existe ).
Ex :
- Assistem TV no computador, celular, no aparelho de TV
- Acessam redes sociais no computador e no celular
- Leem revistas e jornais na internet/computador e no papel
- Ouvem rádio no celular, no aparelho de rádio e no computador
- Jogam games no console, online, no computador, no celular
- Plugam o computador no aparelho de TV

2- A internet é onipresente
É algo que liga tudo a tudo e a todos. É o que interliga milhões de pessoas e aparelhos. Ela tem de tudo e, cada vez mais, está em tudo. A próxima fase da internet é a das coisas: automóveis, aviões, máquinas, televisores, relógios de pulso, brinquedos, etc.
A internet, permite realizar muitas coisas sem sair de casa: fazer compras de qualquer lugar do mundo, conhecer lugares e museus internacionais, conferir lançamentos de filmes e, principalmente, falar as coisas que o jovem não teria coragem de dizer pessoalmente.
A Internet é acesso ao mundo, aos amigos, aos conhecidos, facilita tarefas do dia a dia, possibilita entretenimento, etc...
Tudo é possível com a internet

3- Nossos valores : família, carreira e segurança
Ainda são os principais valores

4 – Consumo, socialização e diversão
Estão em segundo plano mas definem a geração

5- Tela é tudo!
Muito tem sido falado sobre a variedade de telas que o jovem tem à disposição para entretenimento e informação: a tela do cinema, a da televisão, a do computador, a do celular. As telas ganharam o mundo e estão ligadas 24 horas por dia em lugares como elevadores de empresas, shoppings, padarias, supermercados, ônibus, metrô, aviões, aparelhos de GPS, caixas eletrônicos e sistemas de segurança de shoppings e condomínios. Essa é uma geração apaixonada por telas, habituada a conviver com imagem e som e a receber continuamente informação, histórias e emoções.
Sabendo que essa geração vive também a era das telas, e pensando no crescente hábito dos jovens de assistirem vídeos em outras telas além da TV convencional, este estudo investigou quais os tipos de vídeos que eles costumam assistir

Gráfico 13: Tipos de vídeos que costumam assistir
Base: total da amostra (%)


6- Múltiplos e relativos
Essa geração desenvolveu a capacidade da multitarefa. Conseguem se interessar e executar mais de uma atividade simultaneamente.
Envolvem-se com muitas coisas, fazem muitas coisas e com isso o tempo fica relativo.
Perdem a noção do tempo diante de tantas possibilidades e de tantos atrativos.
É uma geração inquieta, impaciente e imediatista. A vida acontece no ritmo deles, no tempo em que se aciona uma tecla ou ícone de comando.

7 – O valor da autoria
Entre os maiores ganhos que a tecnologia e os meios de comunicação trouxeram para eles está o de poderem produzir seus próprios conteúdos. Na verdade, eles sempre o fizeram, mas a democratização das ferramentas de produção e distribuição os estimulou ainda mais a produzir e publicar suas músicas, fotos, vídeos e blogs.
Há uma grande discussão sobre a qualidade desse material como contribuição cultural, educacional e de interesse público. Mas os estudos antropológicos revelam que os desenhos nas cavernas e os hieróglifos egípcios nada mais eram do que a reprodução de cenas do cotidiano. Assim, quando essa geração publica seus conteúdos, está prestando um serviço aos estudos antropológicos atuais. Neste estudo, 35% dos jovens declararam o hábito de manter um blog ou fotoblog.
Com o olhar histórico, não podemos imaginar uma época anterior à internet em que poderíamos ter acesso tão direto a cartas, diários e álbuns de fotos mantidos pelos jovens. Quantos jovens teriam a oportunidade de publicar um texto, um livro ou de gravar uma música, em outros tempos?

8 – Há vida fora de casa
Fazem muita coisa fora de casa e fora da internet

Hábitos de lazer:



9 – Pais e professores : Desafios
Como lidar com essa nova forma de consumir conteúdos, com a diversidade, a possibilidade de acesso?
Como conduzir a seleção de conteúdos e reter a atenção?
Os profissionais que lidam com os jovens afirmam que, apesar do acesso a muita informação, esse conteúdo não necessariamente tem qualidade e profundidade. Acham que as muitas possibilidades de acesso e a rapidez com que o jovem obtém a informação não permitem o tempo necessário para aprender, pensar em si e no mundo. É uma geração mais propensa à falta de foco e de poder de reflexão. Os temas de interesse são muitos e também mudam muito rápido. A cada semana surge um novo assunto pelo qual o jovem se interessa – e, muitas vezes, esse encantamento não dura mais que uma semana. São poucos os conteúdos e temas de interesse que permanecem.
Os educadores, em especial, acham que toda essa informação pode criar uma ilusão de que eles sabem tudo. Ao mesmo tempo, professores que achavam ter o domínio do conhecimento também o perderam. O aluno de hoje é muito mais informado que o de 20 anos atrás. O desafio da educação é preparar os professores para trabalhar com essa nova geração de jovens.
A comunicação on-line favorece contato com mais gente, a qualquer hora, mas torna os encontros pessoais mais raros. É fato que essa geração de jovens convive menos pessoalmente com os familiares e amigos. Os próprios jovens reconhecem que se sentem vulneráveis ao usar a comunicação on-line, em razão de golpes, crimes, pedofilia, cyber bullying, informações falsas, vírus, invasão de sites de relacionamento, falta de privacidade: 46% concordam totalmente que nem tudo o que está na web é confiável.
Tentar controlar os avanços tecnológicos é impossível. Portanto, fica claro que esta e as próximas gerações de jovens não nos darão trégua: eles serão cada vez mais rápidos.
Portanto, independentemente do papel que cada um tenha na vida do jovem – seja pai, educador, profissional de marketing ou profissional de mídia –, os desafios serão constantes.
Os pais reconhecem que a vida moderna rouba um tempo do dia a dia que deveria ser dedicado aos filhos. Estão mais ausentes, se distanciaram da educação deles. Para suprir essa falta de atenção, revelam que seus filhos podem estar substituindo as horas de convívio pessoal por horas ao computador e outros meios de relacionamento. Os pais sabem da importância da tecnologia e dos novos meios de comunicação no desenvolvimento de seus filhos, mas têm como desafio não perder o convívio pessoal, a conversa “olho no olho” e a posição de pais.
O papel da escola, muito discutido nos últimos 50 anos, hoje ocupa o centro da revolução em curso. Por um lado, boa parte dos pais terceirizou a educação de seus filhos, o que se verifica especialmente nas escolas privadas, onde os pais se comportam como consumidores que pagam pela prestação de serviço e o nível de exigência com relação aos professores é altíssimo. Por outro, grande parte dos professores e diretores das escolas teve a formação, há mais de 15 anos, sobre o princípio de que são os detentores do saber. Na era da informação, isso não existe mais. Hoje, o aluno não vê mais o professor como a única referência do saber. Assim, o desafio da escola é não só o de investir em instalações e equipamentos de última geração, mas, principalmente, o de formar professores que saibam ajudar essa geração a desenvolver metodologias de estudo e aprendizado, a selecionar as informações com qualidade e a transformar informação em conhecimento.

10 – Diferentes classes sociais, mesmos desejos
A tecnologia da informação, em especial com o advento da internet, diminui as distâncias entre os jovens no sentido de que, hoje, eles têm as mesmas referências e sonham em consumir as mesmas coisas. O que varia é o poder de realização desses sonhos, conforme a classe social.
Um dos maiores desejos do grupo pesquisado é o de ter um computador – ou trocar o atual por um melhor. Dito isso, enquanto um jovem da classe C quer ter seu primeiro computador com acesso à internet, um jovem da classe B sonha em trocar seu desktop por um notebook, ao passo que um jovem da classe A pensa em migrar do notebook para um tablet com tecnologia touchscreen.
O que um jovem pode acumular de informação, hoje, é exponencialmente maior do que o que um adulto poderia acumular há 50 anos. A tecnologia e o acesso à informação permitem a jovens de todas as classes sociais ampliar suas possibilidades relacionadas com educação, conhecimento e crescimento profissional.

Semelhantes, mas não muito

PERFIS

Grupo 1: Hedonista ( 13% )
A tecnologia para diversão: “O que não é rápido e divertido para mim não tem graça.”



Valores: ter amigos, boa formação escolar, carreira e independência financeira.

- São muito próximos das mídias tecnológicas e pagam para tê-las.
- Pouco se interessam pelo que acontece à sua volta.
- A internet é a melhor forma para se atualizar.
- Ficar em casa é bastante divertido

Atividades na internet: game, download de programas e músicas, postar fotos e vídeos, ouvir rádio e assistir vídeos

Grupo 2: Antenado (19%)
Tô ligado


Valores: relacionamento amoroso, atividade física, poder de comprar o que quiser, ter emprego público, ter liberdade e beleza física.
- Estão conectados com todas as mídias de um modo mais amplo.
- É o grupo que mais utiliza os recursos oferecidos pela internet
- Culturalmente, este é o grupo mais ativo
- Gostam de estar e conversar com os amigos
- Preocupam-se com o que acontece ao seu redor e gostam de opinar.
- Consideram-se bastante dependentes da web, da música e de TV.

Atividades na internet: manter seus próprios blogs, jogar, ver programação de TV, download de programas e filmes,ouvir música e postar vídeos e fotos.

Grupo 3: Tradicional (19%)
“Minha família é tudo para mim.”


Valores: união familiar, carreira e profissão.

- É o grupo menos tecnológico e não paga por modernidade
- A vida social não é intensa, são mais focados na família e nos amigos
- Passam muito tempo em sites de relacionamento.
- Não há interesse em se informar sobre o que acontece no mundo.
Atividades na internet: Basicamente, usam sites de relacionamento e de busca.

Grupo 4: Baladeiro (18%)
“O que vai rolar no fim de semana?”



Valores: beleza física, liberdade, fé.

- Interessados em moda, celebridades, fofocas
- São os mais preocupados com a própria imagem.
- Têm uma vida social intensa ( foco nos amigos e relacionamentos )
- É o grupo mais íntimo do celular (comunicação com os amigos )
Atividades na internet: sites de relacionamento, trabalho e escola, busca, comparar preços e consultar endereços, download de programas.

Grupo 5: Humanizado (17%)
“Quero lutar por um mundo melhor.”



Valores: ter fé, viver numa sociedade mais segura, relacionamentos afetivos.

- Este grupo tem consciência e se informam sobre o que acontece à sua volta.
- Equilibram vida social com familiar.
- A vida social e cultural acontece de forma moderada
- Preocupam-se com os relacionamentos pessoais, evitam mensagens de texto e sites de relacionamento.
- Preocupam-se com a alimentação e com a aparência.
- Preferem produtos que possuem tecnologia e que sejam ecologicamente corretos – pagam mais por isso.
- Usam as funções básicas do celular e navegam pouco na internet
Atividades na internet:
- trabalho e escola, sites de busca para comparar preços e localizar endereços, download de programas.

Grupo 6: Batalhador (13%)
“Não tenho tempo a perder, preciso mudar minha história.”



Valores: viver numa sociedade menos desigual e consumista, ter fé.

- É o grupo mais consciente das diferenças sociais, porque as vivencia.
- As mídias mais modernas estão distantes, então usam as convencionais.
- São interessados pelos temas sociais e procuram notícias sobre o Brasil e o mundo.
- Mesmo em casa, as atividades de lazer são mais escassas.
Atividades na internet: ler notícias, fazer compras, procurar informações de emprego e para atividades de trabalho.
É o grupo que menos acessa a internet para relacionamento e o que passa menos tempo conectado.

________________________________________________

Resumo Dossiê Universo Jovem MTV 5 – Screen Generation

Este estudo pesquisou um universo composto por 64 milhões de jovens brasileiros, de 12 a 30 anos das classes sociais A, B e C.

Metodologia e amostra :
- Fase qualitativa : 154 jovens
- Fase quantitativa : 2000 entrevistas

Praças : São Paulo, Rio de Janeiro, Interior de São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Recife e Porto Alegre
Campo : Maio a Julho 2010

http://www.pesquisas.org.br/

Como evangelizar pessoas secularizadas

Não deixem de ler esta matéria



por Luis Andre Bruneto

Para encontrar meios eficazes de evangelismo de pessoas secularizadas é necessário conhece-las.

Uma pessoa secularizada é primeiramente uma pessoa sem conhecimento acerca das verdades cristãs e busca uma solução para seus problemas imediatos. A pessoa secularizada é mais consciente das dúvidas do que da culpa e possui uma imagem negativa da igreja.

A pessoa secularizada possui múltiplas alienações. Antes, ela se sentia parte de um todo, mas agora está alienada na natureza. A pessoa secularizada é também desconfiada, possui uma auto-imagem muito negativa e vive perdida, não acha a porta.

Com essas características é possível encontrarmos algumas pistas sobre como evangelizar essas pessoas. Em primeiro lugar, é necessário se formar um círculo de amizade. Nesse caso, um grupo pequeno dentro da igreja parece ser a melhor solução.

Depois, é necessário responder às dúvidas dessas pessoas com amor. Como elas possuem uma imagem negativa da igreja, o grupo pequeno se torna uma saída para o estudo bíblico que responde as suas questões. Entretanto, para que as respostas sejam respaldadas é necessário que a pessoa se sinta parte do grupo que está inserida.

Também é preciso falar a linguagem da pessoa secularizada. Como, por natureza, ela é desconfiada, falar a sua linguagem é uma porta aberta para a evangelização.

É necessário levar a pessoa a um encontro com Jesus, ou seja, realmente apresentar Jesus a ela. Depois disso levar a pessoa a um processo de cura de sua auto-imagem negativa.

Valorizar a pessoa, seus familiares, mostrar amor, falar a sua linguagem, não desprezar o que a pessoa gosta (desde que não fira princípios vitais do evangelho), caminhar com a pessoa são algumas das pistas para evangelizar pessoas secularizadas.

Para encontrar meios eficazes de evangelismo de pessoas secularizadas é necessário conhece-las. Uma pessoa secularizada é primeiramente uma pessoa sem conhecimento acerca das verdades cristãs e busca uma solução para seus problemas imediatos. A pessoa secularizada é mais consciente das dúvidas do que da culpa e possui uma imagem negativa da igreja.

A pessoa secularizada possui múltiplas alienações. Antes, ela se sentia parte de um todo, mas agora está alienada na natureza. A pessoa secularizada é também desconfiada, possui uma auto-imagem muito negativa e vive perdida, não acha a porta.

Com essas características é possível encontrarmos algumas pistas sobre como evangelizar essas pessoas. Em primeiro lugar, é necessário se formar um círculo de amizade. Nesse caso, um grupo pequeno dentro da igreja parece ser a melhor solução.

Depois, é necessário responder às dúvidas dessas pessoas com amor. Como elas possuem uma imagem negativa da igreja, o grupo pequeno se torna uma saída para o estudo bíblico que responde as suas questões. Entretanto, para que as respostas sejam respaldadas é necessário que a pessoa se sinta parte do grupo que está inserida.

Também é preciso falar a linguagem da pessoa secularizada. Como, por natureza, ela é desconfiada, falar a sua linguagem é uma porta aberta para a evangelização.

É necessário levar a pessoa a um encontro com Jesus, ou seja, realmente apresentar Jesus a ela. Depois disso levar a pessoa a um processo de cura de sua auto-imagem negativa.

Valorizar a pessoa, seus familiares, mostrar amor, falar a sua linguagem, não desprezar o que a pessoa gosta (desde que não fira princípios vitais do evangelho), caminhar com a pessoa são algumas das pistas para evangelizar pessoas secularizadas



A Importância da Evangelização nos dias de hoje. O Evangelho precisa ser analisado tendo em vista suas muitas tonalidades culturais, étnicas, geográficas e históricas. Vejam as respostas na pesquisa nacional com referências às principais características e ênfases nos modelos utilizados para plantação e crescimento:

TEMAS %
A Evangelização 31
B Pequenos Grupos e Células 19
C Pregação/ oração / Bíblia 16
D Igreja com propósitos 12
E Eventos / propaganda 9
F Ensino e discipulado 9
G Capacitação de líderes 9
H Sem resposta
9
I Adoração / louvor / edificação 8
J Comunhão / intercessão / aconselhamento 8
K Vários métodos / parcerias 6
L Pontos de pregação 6
M Dons / curas 5
N Missões / serviço
4
O Plantação de igrejas com infraestrutura própria 4
P Atendimento comunitário 4
Q Redes ministeriais 3
R Pesquisa e contextualização do evangelismo 3
S Sem modelo / não sabe 3.3

Conforme se vê acima, evangelização ganha disparado a corrida como maior ênfase (31%). Pequenos grupos e células vêm logo em seguida com 19%. Vemos também que apenas 5% das igrejas pesquisadas utilizam dons em curas como sua maior ênfase. Isso talvez reflita o esfriamento espiritual especialmente na igreja pentecostal. Apesar da propaganda focada nos milagres e maravilhas, os resultados não acontecem com a mesma frequência com que vinham acontecendo no movimento pentecostal avivalista das décadas de setenta e oitenta. Os rótulos são diversos, mas apatia, indiferença e arrefecimento da fé cristã encontram-se presentes em quase todos os conteúdos denominacionais. Sem sombra de dúvidas, diversas respostas da pergunta acima revelam um pouco do enigma, do caos em que se encontra a igreja evangélica brasileira bem como a falta de direção dos pastores e líderes. Por exemplo, 9% das igrejas não responderam essa questão, 6% usam um mix de métodos e o que é pior, 3,3% não possuem uma ênfase, ou seja, “estão atirando para todos os lados”.

A prioridade ao evangelismo, recrutamento de novos membros e crescimento numérico, de forma dramaticamente óbvia, visa apenas a “cristianização” da comunidade na aparência, nos números e no tamanho. O critério para o sucesso da igreja resume-se ao crescimento numérico e recursos financeiros. Parece que neste mundo evangélico do “vale-tudo”, todo tipo de metodologia pode ser utilizada, desde que produza crescimento. Que visão distorcida e reduzida do Evangelho! Os valores do Evangelho possuem apenas um papel secundário e a igreja passa praticamente despercebida pelo povo que mora ao redor (de verdade, quem gostaria de residir ao lado de uma igreja, nos horários de culto?). Além disso, as igrejas continuam balançando de um lado para o outro do pêndulo, indecisas, inseguras se devem investir mais na evangelização e projetos evangelísticos ou se devem praticar mais assistência social na comunidade local.

Evangelização Integral e David Bosch
David Bosch resume o evangelismo como dimensão e atividade da missão da igreja que, através da palavra e da ação e à luz de condições específicas e de um contexto singular, oferece a toda pessoa e comunidade, em qualquer lugar, uma oportunidade válida de ser diretamente desafiada a uma radical reorientação de sua vida, uma reorientação que implica coisas como ser libertado da escravidão do mundo e de seus poderes; aceitar a Cristo como Salvador e Senhor; tornar-se um membro vivo de sua comunidade, a igreja; ser arrolado em um serviço de reconciliação, paz e justiça na terra, e comprometer-se com o propósito de Deus de colocar tudo sob o senhorio de Cristo. Ele esboça 18 considerações para uma melhor compreensão do evangelismo, especialmente em suas relações com a missão que resumem e acrescentam os vários temas abordados até o momento:

1. A missão é mais ampla que o Evangelismo. Missão denota a tarefa global que Deus deu à igreja para a salvação do mundo. Ela é a igreja enviada ao mundo para amar, servir, pregar, ensinar, curar, libertar.

2. Evangelismo não pode ser equiparado à missão. Evangelismo é parte integrante da missão mais abrangente da igreja, está inserido na missão global da igreja.
3. Evangelismo é “dimensão” essencial da atividade global da igreja, como coração ou cerne da missão da igreja.

4. Evangelismo implica testemunhar o que Deus fez, está fazendo e fará, como mediador da boa nova do amor de Deus em Cristo que transforma a vida humana.

5. Evangelismo objetiva uma resposta, mudanças específicas, renunciando evidências do domínio do pecado em nossas vidas, aceitando responsabilidades em termos do amor de Deus.

6. Evangelismo representa um convite. É comunicar alegria, uma mensagem positiva de esperança. Não é o mesmo que (1) oferecer uma panaceia psicológica para as frustrações e desapontamentos das pessoas, (2) inculcar sentimentos de culpa para que as pessoas em desespero se voltem para Cristo, ou (3) assustar as pessoas a fim de que se arrependam e convertam com estórias sobre os horrores do inferno. As pessoas devem ser atraídas pelo amor de Deus.

7. A pessoa que evangeliza é uma testemunha, não um juiz. Newbigin nos lembra que jamais posso saber se a pessoa que rejeita meu testemunho rejeitou a Jesus.

8. Embora devamos ser modestos quanto ao caráter e à eficácia de nosso testemunho, o evangelismo permanece um ministério indispensável. Não representa um acessório opcional, mas um dever sagrado.

9. O evangelismo só pode acontecer quando a comunidade que evangeliza –a igreja, é uma manifestação radiante da fé cristã e exibe um estilo de vida atraente. Muitos não confessam a Cristo porque rejeitaram-no pelo que viram na vida dos cristãos.

10. O evangelismo oferece às pessoas a salvação como uma dádiva presente e, junto com ela, a garantia de bem-aventurança eterna, pois pessoas estão procurando desesperadamente um sentido para a vida. Mas se essa oferta constituir o centro do evangelismo, degrada-se o Evangelho a um artigo de consumo e Cristo é reduzido a pouco mais que um fornecedor de bênçãos especiais.
11. Evangelismo não é proselitismo, onde as pessoas de outros grupos sociais e igrejas sejam vistas como “candidatos” a serem ganhos. Grande parte disso reflete a tendência de construir impérios.

12. Evangelismo não é o mesmo que extensão eclesiástica, sinônimo de expansão da igreja através do incremento numérico de membros. A atenção do evangelismo não deveria estar voltada para a igreja, mas para o reinado de Deus.

13. Distinguir entre evangelismo e recrutamento de membros não significa sugerir que ambos estejam desconectados. Faz parte do cerne da missão cristã fomentar a multiplicação de igrejas. Sem a igreja é impossível haver evangelismo ou missão. Mas as estatísticas são menos úteis quando queremos medir o grau de eficácia e responsabilidade do evangelismo na igreja. Um evangelismo autêntico pode causar a diminuição dos membros de uma igreja.

14. Apesar de não ser individualista, no evangelismo, “só é possível dirigir-se a pessoas, e só elas podem responder. O evangelismo tem uma dimensão pessoal e social.
15. O evangelismo autêntico sempre é contextual, valorizando a história, contexto e ética social. O Evangelho implica no senhorio de Cristo em todas as esferas da vida.
16. O evangelismo não pode ser dissociado da pregação e prática da justiça. Ser um discípulo de Cristo implica em aceitar um compromisso com Cristo e um chamado ao serviço do Reino de Deus. Evangelismo significa angariar pessoas para o reinado de Deus, libertando-as de si mesmas, de seus pecados e de seus enredamentos, a fim de que sejam livres para Deus e o próximo.
17. Evangelismo não é um mecanismo para apressar a volta de Cristo. Barret e Reapsome (1988), calculou que houve 788 planos globais para evangelizar o mundo e que a maioria deles estava relacionada com expectativas escatológicas. Os projetos fascinados com o ano 2000 mostraram-se altamente questionáveis.
18. Evangelismo não é apenas proclamação verbal, apesar de possuir uma dimensão verbal da qual não é possível escapar. Mas não existe uma única maneira de testemunhar Cristo. A Palavra jamais pode estar divorciada da ação. Não é possível empacotar o evangelismo em 4-5 princípios. Não há um plano mestre, uma lista de verdades absolutas. Só nos é possível testemunhar o Evangelho de maneira ousada e humilde, concomitantemente.

Será que podemos impor nossos mapas como único caminho para nortear os confusos, indecisos e peregrinos à beira do caminho ou prescrever nossos próprios medicamentos como a única solução e cura das doenças? Quando fazemos isso dizemos que somos mais importantes, somos melhores que vocês. O cristão deve refletir o seguinte na conversão de não cristãos: como desenvolver um relacionamento pessoal e fraternal com eles antes e depois de evangelizá-los? Qualquer tipo de aproximação ou conversa que não tenha interesse em continuar num bom relacionamento irá quebrar a comunicação. Precisamos trazer o dom da certeza num clima de ambiguidade, com clareza sem superioridade.

Rubens R. Muzio – Sepal
http://www.pesquisas.org.br/